Pular para o conteúdo principal

Postagens

Destaques

Os extremos em um bueiro fedorento

A "era dos extremos" não é só titulo de um livro capital de Eric Hobsbawn. É a tradução do tempo em que vivemos, extremos de uma era a nos podar as aparas da civilidade. Não é só um desconversar fingindo conversar, não é só a intolerância , não é apenas o desejo de que a verdade de um prevaleça sobre a do outro. É a incapacidade de ouvir, de argumentar sem argumentos, de pontificar e julgar sem o menor conhecimento histórico. Não é só uma questão de intolerância,é má vontade mesmo. As pessoas tem suas teses prontas, cristalizadas e não haverá argumentação possível para tirá-las de sua zona de (des) conforto.  Não passo imune a tudo isso. Me contamino também na medida em que ao olhar em volta vejo tanta burrice que não escapo a tentação de me sentir onipotente. Mas, afinal, como conviver com a malta mais imunda que já dominou Brasília ? como conviver com a estultice, o fascismo que as pessoas sequer sabem que é fascismo ? como conviver com milagreiros, funkeiros que tiram…

Últimas postagens

De volta ao bizarro Dr.Rey

arquipélagos de ignorância

Anestesia de ano novo

Meu remoto encontro com Mário Quintana

Das leituras e não leituras de 2017

UM PASSO PARA AMAR E SER AMADO

A VELHA FASCISTA

nos falta vergonha na cara

Para os saudosos da ditadura

A AFUNDAÇÃO DA EBC